tree-3822149_1920.jpg
Produções especiais

Aqui estão materiais que temos produzido com exclusividade, em texto, vídeo ou streaming. E trabalhos especiais em parceria com outras instituições e projetos.

Cópia de Original.png
FÓRUM PERMANENTE DAS ÁRVORES

Concebido como um espaço de interlocução entre poder público, academia e população, sobretudo a sociedade civil organizada, o Fórum Permanente das Árvores é uma iniciativa do coletivo Plante Uma Árvore Foz e do Coletivo Educador de Foz do Iguaçu, do qual o Observatório faz parte. Concebemos coletivamente esse fórum devido à necessidade de elaboração de um Plano Municipal de Arborização para Foz do Iguaçu, que considere a atual situação das árvores da cidade e a característica da flora nativa, tal como explicitada no Plano Municipal de Mata Atlântica. A identidade visual do Fórum e a parte de comunicação das primeiras edições são do Doc Ambiente. 

A ideia é fazer um encontro por mês, estabelecendo uma rotina de diálogo que, em si, se constitui como espaço não formal de Educação Ambiental, seja para a população, seja para a própria gestão pública. No início, porém, incentivadas e incentivados pela chegada da primavera de 2021, pelo Dia da Árvore e pela perspectiva de mais liberdade pelo enfraquecimento da pandemia de Covid-19, fizemos algumas atividades em sequências. Além dos encontros do fórum propriamente dito, há o Congresso de Todos os Seres -atividade de educação ambiental no Parque Nacional do Iguaçu-, e o passeio guiado EcoBike, de percepção ambiental em relação às árvores, na região central da cidade.

Os encontros online do Fórum Permanente das Árvores podem ser conferidos em uma playlist especial de nosso canal do YouTube.

Forum 2do encuentro.jpg
Cartaz Forum Vertical .jpg
 

SÉRIES ESPECIAIS DO OBEAMV NO LE MONDE DIPLOMATIQUE BRASIL

As-montanhas-se-separam-de-Jia-Zhangke-1

Cinema & Meio Ambiente

Como o cinema tem tratado as diversas faces da questão ambiental? Da crise civilizatória à perda de biodiversidade, do colapso climático à busca da sacralidade da Terra, a realidade ecológica está em ficções e documentários de diferentes formas, sejam distópicas ou apontando caminhos, como elemento central ou paisagem de fundo. Com esta série, o Le Monde Diplomatique Brasil, em parceria com o Observatório Educador Ambiental Moema Viezzer e o Doc Ambiente, convida alguns dos melhores corações e mentes para pensar a interface da produção cinematográfica com o meio ambiente.

30 de outubro 2020

JORNALISMO AMBIENTAL EM TRÂNSITO

Novas urgências e complexidades pedem novas formas de comunicação. Informar de modo integral sobre os temas ambientais, sem gerar pânico e sem se tornar refém dos conglomerados transnacionais que lucram com a degradação, é o desafio que os meios de comunicação têm enfrentado. Neste espaço refletimos sobre as soluções encontradas e os consequentes movimentos das editorias de meio ambiente e do jornalismo ambiental como um todo. 

mushrooms-2212899_1920_edited.jpg

REVISTA URUTATÁ 

A Revista Urutatá é uma revista digital colaborativa sobre meio ambiente e cultura latino-americana. É uma iniciativa do Observatório Educador Ambiental Moema Viezzer, vinculado a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) e ao Instituto de Estudos Avançados do Mercosul (IMEA). O objetivo da Revista Urutatá é estabelecer um espaço na internet para que autores ambientalistas possam publicar seus textos de forma rápida, livre e independente, contribuindo para o fortalecimento do debate ambiental e cultural na América Latina.

EXIBIÇÃO DE FILME E DEBATE EM PARCERIA COM DOC AMBIENTE E CINECLUBE CINELATINO
Sigo siendo.jpg

SIGO SIENDO/ “Kachkaniraqmi” | filme e debate | Parceria com Doc Ambiente e Cineclube Cinelatino

Em 5 de junho de 2020, Dia do Meio Ambiente, debate online sobre o documentário "Sigo siendo" (ou “Kachkaniraqmi”) discutiu a relação entre arte e paisagem, cultura e meio ambiente. O filme centraliza diferentes expressões da música e da dança em cada um dos três grandes espaços peruanos: a selva amazônica, a Cordilheira dos Andes e a costa, onde se localiza a capital Lima. Conforme muda a paisagem, muda o jeito de falar, de narrar, de conviver, bailar, tocar e cantar. Lançado em 2013, numa coprodução Peru e Espanha, "Sigo siendo” se tornou um marco nos registros culturais peruanos, com destaque para a riqueza de sua música. E vai além. Segundo seu largamente premiado diretor, Javier Curcuera, “no es una historia sólo sobre músicos, es una película sobre un país oculto”.  

Para o debate via streaming, foram convidadas Shyrley Tatiana Peña Aymara (pesquisadora especialista em Buen Vivir, mestre em integração contemporânea da América Latina e professora da Universidad Peruana de Ciencias Aplicadas -UPC), Joyce Najm Mendez (membro do Centro de Pesquisa Constitucional das Nações Unidas, no projeto Jovens Embaixadores do Clima, e do parlamento Mundial da Juventude para a Água) e Cybèle Verazaín Zuazo (especializada em som, direção de arte e maquiagem de efeitos especiais pela Escuela Andina de Cinematografia, membro do Cinelatino e estudante de Cinema & Audiovisual). Com mediação de Luciana Ribeiro (bióloga, doutora em Educação Ambiental, especialista em Responsabilidade Planetária e coordenadora geral do Observatório Educador Ambiental Moema Viezzer).

 

O filme está disponível gratuitamente em www.vimeo.com/77245467 e o debate no canaldo do YouTube do Cineclube Cinelatino: https://www.youtube.com/watch?v=KtRjXWrr4Zg&t=1s 

Sigo siendo 5 Jun 2020.jpg